COMO OS GRUPOS DE MÍDIA CONQUISTARAM O MERCADO DE OPINIÃO – Por Luis Nassif

Imprimir
Categoria: Dicas e Fatos

Ontem expus sinteticamente a influência das novas tecnologias sobre os grupos de mídia, colocando em xeque um modelo empresarial de mais de um século de existência.

Vamos tentar avançar um pouco nos conceitos.

A invenção do telégrafo sem fio permitiu o aparecimento das agências de notícias; da telefonia, a formação das redes de rádios; das tecnologias de telecomunicações, a formação das redes de televisão financiadas preponderantemente por grandes anunciantes privados.

Dava-se forma, na zona de influência do modelo norte-americano, à mais influente organização do século na modelagem das opiniões públicas nacionais: os grupos de mídia.

***

Nos países mais desenvolvidos - o que não é o caso do Brasil - as leis antitruste proibiram a propriedade cruzada - um mesmo grupo dominando vários veículos. Obrigaram as redes de TV a se desfazerem das emissoras regionais ou de jornais na mesma praça.

Não resolveu em nada o problema. O que importa na análise não é a natureza da propriedade em si mas o controle efetivo da operação. Os cabeças de rede mantêm o controle sobre o noticiário, a opinião, os padrões culturais, e o financiamento da rede, através dos grandes patrocinadores nacionais.

***

A lógica inicial desse modelo seria permitir o ganho de escala, o fortalecimento financeiro que garantiria a boa qualidade das produções e o retorno à sociedade através de programas educativos. O fato do modelo de negócios ser independente do Estado, baseados na publicidade privada, teoricamente garantiria o compromisso dos grupos de mídia em relação aos seus representados: a opinião pública.

***

O modelo de grupo de mídia atua simultaneamente no jornalismo, no entretenimento e no marketing (a construção e/ou desconstrução de imagens), em geral misturando esses conceitos e obedecendo a uma lógica comercial - isto é, o foco do negocio é o atendimento dos critérios exigidos pelos patrocinadores. Do lado comercial, o efeito foi a busca da audiência a qualquer preço.

É daí que surge o estilo de dramaturgia da notícia, o uso de conceito de teatro para retratar adversários e aliados, a roteirizacao da reportagem, a escandalização permanente para gerar audiência. Daí, a extrema banalização da TV aberta.

Do lado econômico-financeiro, ocorre a aliança com grupos econômicos visando influenciar os poderes de Estado - Executivo, legislativo e judiciário. O protagonismo político é essencial para os grupos de midia, especialmente naqueles setores que dependem das concessões públicas - rádio e televisão. Essa influência é que garante a perpetuidade das concessões e levanta as barreiras de entrada a novos competidores.

***

Por sua abrangência, os grupos de mídia tornam-se a mais emblemática máquina de influência na opinião publica, maior que os partidos políticos e sua rede de diretórios, que as igrejas e sua rede de templos, que o próprio sistema educacional, muito mais do que as organizações sindicais.

***

A partir dos anos 60, no Brasil a televisão aberta consolida-se como o mais influente veículo de comunicação por seu poder concentrador, dividido entre poucas redes de emissoras chegando em todos os ambientes do país.

***

Nos EUA, o primeiro baque nesse modelo veio com a TV paga, que abriu espaço para a entrada de novos grupos. O segundo - e definitivo - as redes sociais permitindo a ascensão de um numero infindável de novos centros de difusão de notícias e de opinião.

É essa a guerra mundial deflagrada por vários grupos de mídia, visando ampliar sua influência política para impedir a decadência de um poder que já foi quase absoluto.

 


Coluna Econômica - 12/03/2014

Email: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. – 12/03/2014

Blog: www.luisnassif.com.br

Portal: www.luisnassif.com

Agência Dinheiro Vivo O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

"Todos os direitos reservados, sendo proibida a reprodução total ou parcial por meio impresso”

Contato

Nívio Terra - Advogado de Negócios e Consultor Pessoal
nivio@PortaldoSocioedaSociedade.com.br
nivio@terracpe.com.br

Credite a fonte

O CONTEÚDO DO PORTAL DESPERTOU INTERESSE, COPIE, MAS CREDITE A FONTE. SUA ÉTICA SERÁ O FISCAL DESTE PEDIDO.
Copyright 2011 COMO OS GRUPOS DE MÍDIA CONQUISTARAM O MERCADO DE OPINIÃO – Por Luis Nassif - Joomla