DIETA MEDITERRANEA - Por Dr. Luiz Freitag (*)

Imprimir
Categoria: Dicas e Fatos

 Desde 1950, estudos científicos vem sendo realizados, principalmente americanos, para tentar elucidar por que os povos do Mediterrâneo, principalmente os gregos, apresentam

MENOR INCIDÊNCIA DE DOENÇAS CARDÍACAS.

            De acordo com as mais recentes pesquisas da Universidade de Harvard, o tipo de alimento da cozinha mediterrânea pode reduzir, se consumido diariamente, até 25% do câncer do cólon, 15% do câncer de mama e 10% do câncer de próstata, entre outros benefícios para o organismo.

Outras pesquisas confirmam que há 13% de menor probabilidade de sofrer de doença de Parkinson e Alzheimer. E qual é essa dieta saudável?  Principalmente é uma composição de salada com vegetais de todos os tipos, temperada só com azeite de oliva extra virgem e pouco sal. Pode ser complementada também com queijo feta (queijo de cabra ou ovelha), com pouco teor de gordura, característico da Grécia.

            Há textos do II milênio antes de Cristo, onde é citado o uso de vinho tinto às refeições, bem com o hábito de comer uvas secas ou naturais. Dentre os muitos alimentos utilizados na dieta, mencionamos os mais clássicos como: alho, azeite de oliva extravirgem, azeitonas preta ou verde, berinjela, ervas-finas, mel, alguns tipos de pão, peixes variados como atum, salmão e truta, que contem ômega-3, ácido graxo essencial para uma boa saúde, queijos brancos, tomate e, naturalmente, o vinho tinto.

Observar que não é incluída a carne vermelha. Há muitas receitas da culinária mediterrânea que podem facilmente serem transpostas para o Brasil.

            Gorduras ricas em ácidos graxos saturados, encontrados principalmente em carnes, são as que mais prejudicam a saúde. Por esse motivo indicamos sempre alimentos poli-insaturados, isto é, muito sem gorduras, para consumo diário, como o azeite de oliva. A explicação é que gorduras saturadas aumentam os níveis de colesterol no sangue, fazendo com que o fígado demore mais a trabalhar, provocando oxidação. Aos poucos estas gorduras irão provocando lesões nos vasos sanguíneos e consequente aterosclerose.

            A ingestão de alimentos com gorduras monoinsaturadas é necessária, pois fará aumentar os níveis do bom colesterol (HDL) e diminuir os do mau colesterol (LDL). O azeite de oliva e o óleo de abacate são considerados monoinsaturados.

            Para que tenhamos uma sobrevida mais longa e saudável recomendamos:

NÃO FUMAR, CAMINHADAS DIÁRIAS, DE MEIA HORA OU DE ACORDO COM ORIENTAÇÃO DO SEU MÉDICO, TOMAR ATÉ 5 COPOS DE ÁGUA POR DIA, MANTER O PESO, ALIMENTAR-SE COM AS COMIDAS MEDITERRÂNEAS, TOMAR 1(UM) COPO DE VINHO OU SUCO DE UVA NATURAL, ATÉ 5X POR SEMANA, LEITURAS PARA ATIVAR MAIS OS NEURÔNIOS, MANTER VIDA SOCIAL, FAMILIAR E SEXUAL ATIVA.

            A combinação de todos os ingredientes da alimentação mediterrânea já está sendo proposta para figurar na lista de patrimônios culturais imateriais da Humanidade protegidos pela UNESCO (Organização das Nações Unidas).  

 

(*) LUIZ FREITAG - Dr. - Médico geriatra, autor do livro “Como transformar a terceira idade na melhor idade” Ed. Alaúde. SP - Membro titular da Academia de Medicina de São Paulo- O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Contato

Nívio Terra - Advogado de Negócios e Consultor Pessoal
nivio@PortaldoSocioedaSociedade.com.br
nivio@terracpe.com.br

Credite a fonte

O CONTEÚDO DO PORTAL DESPERTOU INTERESSE, COPIE, MAS CREDITE A FONTE. SUA ÉTICA SERÁ O FISCAL DESTE PEDIDO.
Copyright 2011 DIETA MEDITERRANEA - Por Dr. Luiz Freitag (*) - Joomla